Pressione enter para pesquisar

Escassez de carioca extra, valoriza o produto

Com a redução da oferta e o aumento da procura, o preço aumentou.

04 de Fevereiro de 2016 Publicada as: 09h28

Em seis meses, o preço do feijão carioca extra teve aumento de 57%. Conforme dados anotados pelo site Bolsinha Informativos, em julho de 2015, o preço médio da saca de 60 quilos do feijão carioca extra (nota 9,5) foi de R$ 147. Já, no mês de dezembro, o preço médio da saca foi de R$ 232. 

O principal motivo para essa valorização, conforme explica o diretor do Bolsinha Informativo, e analista de mercado, Auro Nagay, foi a escassez do produto de melhor qualidade. Assim, com a redução da oferta e o aumento da procura, o preço aumentou. “As constantes chuvas que atingiram as regiões produtoras em meados de novembro e dezembro, comprometeu a qualidade dos grãos”, observa. 

Nos meses de novembro e dezembro, o mercado é abastecido praticamente pelas lavouras do interior paulista. Entretanto, o feijão recém-colhido apresentou muitos defeitos por causa da chuva que não deu trégua na hora da colheita. A produção foi de grãos com defeitos, brotados, úmidos ou mofados. “O pouco feijão nota 9,5 e de melhor qualidade que foi ofertado, teve uma pedida maior. A diferença de preço entre um 9,5 e 8, por exemplo, chegou a ser de R$ 70, no dia 14 de dezembro”, informa Auro. 

Agora, finalizado a colheita da safra paulista, o mercado passa a ser abastecido pela produção de feijão primeira safra do Paraná, que atinge o pico de colheita durante o mês de janeiro. “Novamente, a chuva constante, dessa vez no Paraná, acabou comprometendo a qualidade. A maior parte do feijão carioca recém-colhido que chega até a Bolsinha, é composto por grãos defeituosos. A expectativa é que em fevereiro, que é quando a colheita em Minas Gerais atinge o pico, entre mercadoria extra de melhor qualidade”, comenta. 
 

Voltar

Indicadores
econômicos