Pressione enter para pesquisar

Feijão fica mais caro ao consumidor

No acumulado anual (de janeiro a dezembro) o preço pago ao produtor pela saca de 60 quilos de feijão carioca (tipo extra), teve reajuste de 18,7% na Bolsinha de São Paulo.

16 de Fevereiro de 2016 Publicada as: 09h13

As constantes chuvas que atingiram as regiões produtoras de feijão carioca nos últimos meses fizeram com que muitos produtores tivessem prejuízo na produção. Com isso, o feijão carioca extra (tipo mais comercializado nos supermercados) foi pouco ofertado, o que influenciou no reajuste dos preços. O reajuste pesou, também, no bolso do consumidor. 

Somente na Bolsinha de São Paulo, considerando o último trimestre de 2015, o feijão carioca extra (nota 9,5), foi cotado no mês de outubro em média a R$ 159, a saca de 60 quilos. No mês de novembro, o mesmo produto já subiu para R$ 218 e, em dezembro, R$ 232. As informações são com base no banco de dados do site Bolsinha Informativos e apontam um reajuste de 46% no último trimestre do ano passado (de outubro a dezembro). No acumulado anual (de janeiro a dezembro) o preço pago ao produtor pela saca de 60 quilos de feijão carioca (tipo extra), teve reajuste de 18,7% na Bolsinha de São Paulo. 

Nas prateleiras dos supermercados, não foi diferente. Conforme pesquisa da Fundação Procon do estado de São Paulo, o quilo do feijão custava R$ 3,57 em média, no dia 30 de outubro de 2015, nos supermercados do estado de São Paulo. Já, em 30 de novembro, o preço subiu para R$ 3,92 em média, com variação de 9,8%. Os dados de dezembro ainda não foram divulgados. 

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), apontou que, somente no último ano, de janeiro a dezembro, o consumidor paulista arcou com reajuste de 34,6% no preço do quilo de feijão carioca. O reajuste, entretanto, foi maior para os consumidores de Campo Grande (MS), de 63,1%. 

Fonte: bolsinha

Voltar

Indicadores
econômicos