Pressione enter para pesquisar

Será? Consultoria prevê safra de 114 milhões de toneladas de soja no Brasil

Enquanto algumas entidades apostam em uma possível redução na produção da oleaginosa, analistas da consultoria estão mais otimistas para 2017/2018

10 de Outubro de 2017 Publicada as: 14h24

Enquanto algumas entidades apostam em uma possível redução na produção da oleaginosa, analistas da consultoria estão mais otimistas para 2017/2018

A consultoria Safras & Mercado lançou a previsão sobre a produção brasileira de soja em 2017/2018. Segundo o levantamento, ela deverá totalizar 114,706 milhões de toneladas, com aumento de 0,4% sobre a safra da temporada 2016/2017, que ficou (segundo dados da empresa) em 114,23 milhões de toneladas.

Na comparação com o relatório anterior, houve uma elevação de 1,502 milhão de toneladas, ou 1,33%. Em julho, a estimativa era de 113,204 milhões de toneladas.

A área com a oleaginsa deve crescer neste ano, 5,1% ficando em 35,54 milhões de hectares, segundo a consultoria. Em 2016/2017, o plantio ocupou 33,815 milhões de hectares. O levantamento indica que a produtividade média deverá passar de 3.395 quilos por hectare para 3.244 quilos.

“O início dos trabalhos de plantio no Brasil começa a confirmar nosso sentimento de uma forte expansão da área brasileira de soja nesta nova temporada”, afirma o analista, Luiz Fernando Gutierrez.

Segundo ele, a oleaginosa volta a ganhar áreas destinadas ao milho na última safra em praticamente todos os estados. No Centro-Oeste e no Sudeste, os produtores confirmam a tendência de centralizar a produção da primeira safra (safra verão) na oleaginosa, enquanto a segunda safra (safrinha) é cada vez mais centralizada no cereal.

“A forte expansão da área de soja nesta nova temporada se ampara principalmente neste fator. Além disso, o fator preço também impulsiona esta transferência de áreas nesta nova safra, com a oleaginosa voltando a remunerar melhor o produtor”, completa Gutierrez.

Segundo ele, a oleaginosa volta a ganhar áreas destinadas ao milho na última safra em praticamente todos os estados. No Centro-Oeste e no Sudeste, os produtores confirmam a tendência de centralizar a produção da primeira safra (safra verão) na oleaginosa, enquanto a segunda safra (safrinha) é cada vez mais centralizada no cereal.

“A forte expansão da área de soja nesta nova temporada se ampara principalmente neste fator. Além disso, o fator preço também impulsiona esta transferência de áreas nesta nova safra, com a oleaginosa voltando a remunerar melhor o produtor”, completa Gutierrez.

Fonte: Canal Rural

Voltar

Indicadores
econômicos